Espaço Aberto

GALPÃO DAS ARTES, ESPAÇO TOM JOBIM

2/11

15:00 | A MULHER DE LOT  (10min.)

Luciana Fins / Brasil

Work In Progress baseado no poema “A Mulher de Lot” da autora polonesa Wisława Szymborska. O poema dramatiza a complexidade das motivações para as ações humanas, expostas sob um ângulo feminino. A mulher deixa de ser objeto exemplar do mito, utilizado como lição ou objeto estético, para assumir a posição de sujeito do discurso: a estátua que fala.

Luciana Fins é atriz/pesquisadora, especialista em Artes Cênicas e licenciada em Teatro. Estudou na Escuela de Formación Actoral –TET, Venezuela. Participou do Odin Week 2015 e Residência Artística com Eugenio Barba – Brasília 2014. Realizou estudos com Roberta Carreri, Carlos Simioni e Theâtre Du Soleil.


15:20 | SEJAMOS ALEGRES (5 min.)

Regina Ramos  / Brasil

Cena em desenvolvimento a partir do texto “Sejamos Alegres”, extraído da obra “Água Viva” de Clarice Lispector. Nele, é aclamada, amaldiçoada, reprimida e expandida a vida. A importância e a força expressiva deste texto residem no fato de ser fragmentário, global, sinestésico, simultaneamente poético e trivial. A inspiração sonora para a cena é o Concierto de Aranjuez, do compositor espanhol Joaquín Rodrigo.

Formada em Artes Cênicas, Artes Plásticas e Cinema, Regina Ramos atuou em 14 espetáculos e em cinema foi roteirista, diretora, assistente produtora e continuísta de diversos curtas. Como gestora cultural dirigiu a CAIXA Cultural por 5 anos. Participou de diversos cursos e da masters-in-residence “A Arte Secreta do Ator”, com Eugenio Barba e Julia Varley em dez/2013.


15:35 / Território Mulher (20 min.)

Mônica Pimenta/Brasil

A oficina Território Mulher convida para uma vivência em Performance: o processo criativo. Na expressividade do movimento, cada gesto registra no espaço suavidade e força, demarcando o território e a identidade de cada indivíduo.

Mônica Pimenta-bailarina, gerontóloga, terapeuta corporal certificada pelo ThetaHealing Institute Of Knowledge® (THInK®- EUA). Por intermédio de linguagens multidisciplinares, atua como intérprete e desenvolve o processo de criação em trabalhos de Performance, Dança- Teatro, Videodança.Na área de Saúde, atua no campo da Prevenção ao Envelhecimento e Saúde da Mulher


16:30 | O EQUILIBRISTA (30 min.)

Filipe Lima / Direção e dramaturgia – Luciana Marrtuchelli / CIA. YINSPIRAÇÃO POÉTICAS CONTEMPORÂNEAS /Brasil

Uma poética sobre como assumir a herança masculina de um mundo que fica cada vez mais cruel e explorado em relação às mulheres. Sobre os valores da vida que os ritos de passagem masculinos ofereciam e que já no existem na sociedade moderna.

Criado por Luciana Martuchelli, há 15 anos, a Cia. YinsPiração Poéticas Contemporâneas se concentrou na formação técnica do ator, o mito e o questionamento da voz da mulher no mundo, os mitos sobre masculinidade e seus estados de representação e multilinguagem. Luciana Martuchelli e diretora da TAO Filmes e da Mise en Scène. Há 8 anos, Luciana criou o treinamento de excelência dramática “A Arte Secreta do Ator”, com Eugenio Barba e Julia Varley (Odin Teatret) e o SOLOS FERTEIS, Festival internacional de monólogos e unipersonais de mulheres no teatro, conectado ao Magdalena Project.

site_multicidade_aberturaD3/11

14:30 |  DEMONSTRAÇÃO DA OFICINA “O CORPO EM AÇÃO” COM VIOLETA LUNA (AO AR LIVRE) 20 min.


15:45 | O CASAMENTO DE ROMINA (20 min.)

Clara Serejo / Brasil

(Estudo de performance) Uma noiva descobre a traição do marido na sua tradicional festa de casamento. A partir desta descoberta, é desencadeada a sequencia de eventos que Romina percorrerá. Inspirado no curta argentino Até que a morte nos Separe, de Dámian Szafiran, o curta foi o ponto de partida, mas não a única referência para uma reflexão profunda sobre os clichês e paradigmas do vários tipos de casamento.

Clara Serejo é atriz e arte educadora formada pela Faculdade de Artes do Paraná. Pós graduada em Cinema e vídeo de baixo orçamento. Atuou recentemente no Curta “Considerações sobre Musgos e Fumaça” de Artur Miranda, e nos longas “Meus dois Amores” de Luiz Henrique Rios e “Operações Especiais” de Tomás Portela. Faz parte do Koletivo Recreio e das Penelópes Cantadoras de Histórias.


16:15 | RAYMUNDA KEYTYY LYNDETY (10 min.)

Alda Passos / Brasil

Raymunda Keytyy Lyndety, nordestina, apresentadora do programa: Ray Alto Astral , programa de dicas de beleza, moda, viagens, culinária, teatro, cinema, cultura, educação. Ela faz uma crítica social, muito divertida, da forma como a arte atualmente é encarada mundialmente.

Atriz Alda Passos, recentemente atuou na peça infantil “O Nascimento do Patinho Feio”, direção de Pitty Webo.Em televisão, participou da novela “Regra do Jogo”.


16:35 | PERU PEQUENA MORTE (15 min.)

Sandra Bonomini / Peru

Corpo distorcido, ferido, monstruoso? Corpo que chora, que pinga, que expulsa e talvez se liberta. Corpo-país em crise. A performer cria uma instalação no seu próprio corpo alterado pelos objetos-figurino para questionar sua identidade – sempre em trânsito e desfocada – e a violência constante que o Estado exerce sobre ela e sobre o(s) corpo(s) ao ser machista, patriarcal, misógino, homofóbico, ao não representá-la. A ação é acompanhada pelo som do Hino Nacional Peruano repetido e também distorcido…violentado. A participação voluntária do espectador será necessária para finalizar a performance em um ato de “comunhão”, ajudando a performer a expulsar, chorar ou chorando junto.

Sandra Bonomini é artista cênica, diretora e performer. Formada em Artes Cênicas pela Pontifícia Universidade Católica do Peru (PUCP) . Pós graduada (Lato Sensu) em Ação e Movimiento: Arte da Performance pela Escola e Faculdade de Dança Angel Vianna (FAV) em parceria com Paola Rettore CASA, Belo Horizonte/Rio de Janeiro.


4/11

14:30 | TODO MUNDO CONTA (20 min.)

Laura Mollica / Brasil

O ‘Todo Mundo Conta’ utiliza como ponto de partida para a sua criação os depoimentos e segredos deixados pelo próprio público (anonimamente ou não) em post-its colados nas paredes durante as performances anteriores. Traz através de partituras corporais ou musicais diferentes histórias, diferentes corpos, diferentes segredos (supervisão de Babi Fontana).

Formada em Jornalismo na PUC, Laura Mollica dirigiu/editou vídeos pra empresas como Natura, Nasajon, Google e Nike. Cursou Artes Cênicas na Université Stendhal na França e é formada pela Casa das Artes de Laranjeiras do RJ. Participou de espetáculos na França e no Brasil, como 120 Dias de Sodoma, dir. Luiz Furlanetto, Yerma, dir. Renato Carrera, tendo ganho o prêmio Yan Michalski de melhor atriz. É uma das fundadoras do Coletivo Mastruço.


15:00 | NAVEGAR (15 min.)

Ana Paula Siste / Brasil

Apresentação das imagens resultantes da Oficina Olhar-se, se olhar, ocorrida no Sesc Maringá-PR, ministradas por André Luiz Lima e Anderson Craveiro em Julho de 2015. Será descrito desde o processo criativo até o resultado final.

Ana Paula Siste é arquiteta, formada pela Universidade Estadual de Londrina no ano de 2013. Atua na área de projetos residenciais e cenografia. Participou do Curso “Introdução a Cenografia” em 2010 na Instituição Unifil (Centro Universitário Filadélfia). É Membro do “Coletivo Trans” desde 2013 e do grupo de Pesquisa Teatral Ajna desde 2014.


15:00 | O QUE TE PRENDE MULHER? E OUTRAS HISTÓRIAS DO COLETIVO RUBRO OBSCENO (20 min.)

Stela Fischer e Leticia Olivares / Coletivo Rubro Obsceno / Brasil

Leticia Olivares e Stela Fischer farão uma performance-palestra, apresentando um breve panorama das ações que o Coletivo Rubro Obsceno vem desenvolvendo na cidade de São Paulo, com o intuito de tratar a temática das mulheres na contemporaneidade. Questões como o aborto, o empoderamento das mulheres, legitimização de seus direitos, valorização do corpo tido como dissidente (trabalhos realizados com grupos de mulheres com HIV e idosas) e contra a violência de gênero são alguns dos temas tratados em suas ações.

O Coletivo Rubro Obsceno é um agrupamento cênico criado em 2013 na cidade de São Paulo, a partir dos encontros do The Magdalena Project no Brasil. Desde então, vem realizando atividades que tratam poética e politicamente das questões das mulheres do seu entorno. Atualmente, o Coletivo está em processo de criação de seu novo trabalho, em parceria com a performer mexicana Violeta Luna, sobre feminicídio México/Brasil. Stela Fischer e Leticia Olivares são as responsáveis pelo Coletivo Rubro Obsceno.

6/11

14:30 | METAPHOR / ANIMATION (20 min.)

Anna Skubik / Polônia

A partir da experiência com arte de marionetes e metáforas de animação em performances para adultos, apresenta a demonstração do trabalho de animação utilizado nas performances, seguida de discussão aberta sobre a metáfora e como ela pode funcionar em processos artísticos de criação.

Atriz – Marionestista, Anna Skubik, graduou-se na Academia de Artes Dramáticas em Cracóvia, Wroclaw. Recebeu bolsa de estudo do Ministério da Cultura e do Património Nacional concedido pelo marechal da Baixa-Silésia. Premiada nacional e internacionalmente, apresenta suas performances na Polônia, Los Angeles, New York, no Reino Unido, a Arménia, República Checa, Indonésia, Alemanha, Itália, Espanha, Grécia, Escócia, Irlanda e Ucrânia.


 

15:00 | CENTAURO – UMA PRÉ-MONTAGEM (20 min.)

Nara Keiserman /Brasil

Primeira experiência na corporização de trecho do conto Centauro, de José Saramago. Tendo o texto decor, a performer dá vazão, em corpo-voz, aos conteúdos simbólicos, concretos e metafóricos ativados no momento presente da ação.

Nara Keiserman é atriz, encenadora, pesquisadora e professora na Escola de Teatro da UNIRIO, onde desenvolve o projeto “Ator rapsodo: pesquisa de procedimentos gestuais” e é responsável pelas disciplinas de Movimento.


 

15:30 |  JOÃO ESPERTO LEVA O PRESENTE CERTO (20 min.)

Cristina Moraes Távora /Brasil

João Esperto é convidado para o aniversário da princesa e, como não tem dinheiro para comprar um presente, decide fazer um bolo para ela. A história narra a confecção do presente e os imprevistos que ocorrem a caminho do castelo.

Cristina Moraes Távora é contadora de histórias, psicóloga e atriz formada pela Casa das Artes de Laranjeiras. Cursou a Escola de Dança Angel Vianna onde estudou técnica de Mímica Corporal Dramática e possui formação de contadora com Ilana Pogrebinschi. Participou da Companhia Omäme Teatro com direção de Marilena Bibas, do Grupo Tá Na Rua dirigido por Amir Haddad e da Companhia Horizontal de Arte Pública com o espetáculo Contos, Cantos e Encantos.


16:00 | WORK IN PROGRESS (30 min.)

Deisi Margarida e Rafaela Azevedo / Supervisão  Erika Rettl /Núcleo das Atrizes do Teatro Moitará

Esta demonstração pública faz parte do processo de pesquisa que o núcleo formado pelas atrizes Erika Rettl, Deisi Margarida e Rafaela Azevedo, desenvolvem sobre a temática da representação dos arquétipos femininos e suas transfigurações ao longo da trajetória humana.

O Grupo Teatral Moitará, fundado por  Erika Rettl e Venício Fonseca em 1988,  desenvolve uma pesquisa continuada sobre o trabalho do ator, buscando compreender os princípios que fundamentam sua arte, tendo nos estudos dos aspectos e funções da Máscara Teatral a base para a elaboração de uma metodologia própria. Ao longo desses anos, vem realizando projetos artísticos, didáticos e socioculturais por meio de oficinas, espetáculos, exposições e palestras-espetáculos por todo o Brasil e participando de festivais nacionais e internacionais. Desde 2008 Erika faz a direção artística do Palavras Visíveis, voltado a capacitação técnica para atores Surdos através da linguagem da Máscara Teatral.

 

Anúncios